Duelo de MCs edição especial - Santa Tereza Tem
Logo

Duelo de MCs edição especial

 Duelo de MCs edição especial para gravação do filme Baixo Centro

duelo de mc 4

Duelo de MCs Foto: Coletivo Família de Rua

Nesta sexta-feira, 15 de julho, o Viaduto Santa Tereza recebe uma edição especial do Duelo de MCs, que vai integrar as gravações do filme Baixo Centro. Em parceria com a produção do filme uma turma boa vai animar a noite de festa e vai rolar Duelo Tradicional com quatro  MCs convidados/as e mais quatro  vagas abertas, shows com Kainná Tawá, Clara Lima e Chris, Bruno BO, Sweet e Sarah Guedes, pintura ao vivo com a Krol, discotecagem com Junin Bumbep, apresentação de dança com o Projeto UMA e muito. O Duelo começa às 20h.

Sobre o filme

Baixo Centro é noturno por completo e apresenta uma série de percursos e encontros que acontecem na noite de Belo Horizonte. Duas espécies de vivência dessa noite: há a reclusão, em festas, conversas, reuniões, exposições de artes, no qual os personagens simplesmente replicam o isolamento de cada um em meio ao grupo as quais pertencem, afastados do contato com os demais e da vida na cidade. Mas há também a deambulação, o atravessar dos pedaços dessa cidade, seu centro permanentemente violentado, os becos e ruelas das periferias e os caminhos que conduzem a esse espaço que se configura como arena de único contato ainda possível com que é diferente.

Esses percursos são também ameaçadores, e há toda uma fantasmagoria que atravessará Baixo Centro transformando em imagem a insinuação de uma morte, individual e coletiva: um ponto de candomblé que intervém pontualmente ao longo do filme, a incapacidade desse ou daquele personagem traduzir em palavras uma sensação de não pertencimento, ou ainda de medo diante de uma ameaça mais ou menos velada. O descompasso entre essas vivências da noite, essa incapacidade de expressar algo que perturba contaminam Baixo Centro em toda sua estrutura: passamos por fragmentos, que não formam um conjunto fechado. Aponta-se para um encontro nuclear, entre dois personagens, Teresa e Robert, de extrações sociais diferentes, todavia unidos pelo desconforto diante da cidade e dos tempos, e pelo anseio criador que se expressa como artes. Mas esse mesmo encontro é fraturado, interrompido, tanto pelo peso das circunstâncias que insistem em os afastar, quanto pelo vai e vem da narrativa, que traduz a incompletude dessas vidas, ao mostrar pequenos instantes das pessoas que os cercam – há Marina, Hiram, Luísa, todo um microcosmo de aspirantes a artistas que cercam Teresa, há Djamba, amigo de Robert, dublê de fotógrafo, isolado na periferia, em busca de uma cidade que já não há.

Baixo Centro é formado por um conjunto de blocos de espaço e de tempo que, por recursos diversos – monólogos, conversas, danças, beijos, flertes, caminhadas – recortam diversas formas de não-reconhecimento por uma mesma geração de personagens separados por sua origem e classe, e é somente esse não reconhecer-se diante do presente que permite que furtivamente possam estar juntos quem aparentemente estaria destinado a nunca se encontrar. E é também de uma destinação que se trata, dos sonhos, delírios e desejos que interrompem o realismo espacial que permeará Baixo Centro e que traduzem ainda uma resistência possível diante de um mundo que finda.

Sobre o Duelo de Mcs

Antigamente o duelo era realizado às sextas-feiras, mas há dois anos passou a ser aos domingos à tarde, sempre debaixo do Viaduto Santa Tereza. Lá é ponto de encontro do pessoal do hip hop e palco de apresentação dos MC`s e dos artistas da grafitagem. Este duelo não carrega o sentido de combater e eliminar, mas, conjugar. Promovido pelo coletivo Família de Rua visa divulgar a cultura Hip Hop, com todos os seus elementos: rap, breakdance, grafite e skate, além de incorporar todas as características de um evento aberto ao público e apoia a cultura urbana.

Serviço
Evento: Duelo de MCs especial
Data: 15 de julho, 20h
Local: Debaixo do Viaduto Santa Tereza

Texto: Coletivo Família de Rua

 

Anúncios